segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Os tratados de limites estabelecendo as fronteiras




Os tratados de limites estabelecendo as fronteiras


Durante todo o período da colonização do Brasil pelos portugueses, a linha estabelecida pelo Tratado de Tordesilhas foi desconsiderada, principalmente por Portugal.
A expansão da criação de gado e a busca por riquezas minerais, como o ouro, foram alguns dos motivos que provocaram o descumprimento do Tratado.
Os primeiros núcleos de povoamento que estavam dispersos pelo litoral brasileiro visavam, principalmente, à extração do pau-brasil. Ainda no século XVI, iniciou-se o cultivo da cana-de-açúcar e, com isso, começaram a surgir várias cidades na região nordestina.
Como a zona litorânea estava ocupada pela agricultura da cana-de-açúcar, a pecuária desenvolveu-se no interior nordestino, levando parte da população a se dedicar a uma agricultura de subsistência e ao cultivo de algodão e fumo.
A pecuária foi a primeira atividade a impulsionar a ida dos colonizadores para o interior do território. No Sul do Brasil foi também por meio da criação de gado que grande parte da região foi incorporada ao território brasileiro. Diversas expedições aconteceram em direção ao interior do Brasil, entre 1580 e 1730, buscando riquezas minerais, captura ou extermínio de indígenas.
Em 1709, D. João V, rei de Portugal, criou a capitania de São Paulo e Minas do Ouro. A vila de São Paulo estava próxima das principais vias fluviais que serviam de eixo para o movimento dos colonizadores vindos do litoral em busca de índios e riquezas minerais. Muitas entradas e bandeiras partiam de São Paulo.
Mais tarde, em 11 de julho de 1711, D. João V, por meio de uma Carta Régia, elevou a vila de São Paulo de Piratininga à categoria de cidade.
O Tratado de Tordesilhas foi ignorado e os portugueses ocuparam parte do território que cabia à Espanha. A ação dos bandeirantes, que entravam pelos sertões com o objetivo de encontrar índios para escravizar, e a atuação religiosa dos padres jesuítas, que também buscavam os índios na selva para convertê-los à fé cristã, colaborou para a invasão do território espanhol.
Com isso, o território brasileiro aumentou muito. Na segunda metade do século XVIII, Portugal e Espanha firmaram novos acordos sobre os limites de suas colônias americanas.
Observe o mapa a seguir.

Mapa de Tratados de Limites (1713-1801)

 Mapa de Tratados de Limites (1713-1801)
Mapa de Tratados de Limites (1713-1801)

Nas linhas delimitadas pelo mais importante desses acordos, o Tratado de Madri, assinado em 1750, foi reconhecida a presença portuguesa na maioria dos territórios ocupados além da linha do Tratado de Tordesilhas.
No entanto, o Tratado de Santo Ildefonso, de 1777, retirou dos portugueses todos os direitos territoriais sobre a região do extremo sul do Brasil, o que mudou em 1801, com a assinatura do Tratado de Badajoz. Com ele os portugueses recuperaram a totalidade do atual estado do Rio Grande do Sul, sendo fixada a fronteira sul do Brasil.



Glossário


Dispersos: espalhados.
Pecuária: criação de gado.
Subsistência: para o sustento.









Links


Sanderlei Silveira (website)

História e Geografia de Santa Catarina - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de São Paulo - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia do Paraná - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de Matto Grosso do Sul - Ensino Fundamental (Blogger)

Língua Portuguesa - Ensino Fundamental (Blogger)

Português: História em 1 Minuto (Blogger)

English: History in 1 Minute (Blogger)

Español: Historia en 1 Minuto (Blogger)

ssconsult.com.br

ss-solucoes.com

historia1minuto.com.br

sanderlei.azurewebsites.net

historia.azurewebsites.net


domingo, 30 de agosto de 2015

A história da formação do território do Mato Grosso do Sul






A história da formação do território do Mato Grosso do Sul


O Tratado de Tordesilhas: espanhóis e portugueses na América


O Brasil é o país que possui a maior extensão territorial da América do Sul. Costumamos dizer que ele possui proporções continentais, ou seja, a grandeza do nosso território se assemelha a continentes como a Oceania e a Europa.
Observe o mapa a seguir que representa a divisão da América em 1494 pelo Tratado de Tordesilhas.

Mapa do Tratado de Tordesilhas


 Mapa do Tratado de Tordesilhas
Mapa do Tratado de Tordesilhas



Agora, compare o mapa acima, que retrata a divisão da América em 1494, com um mapa do Brasil na atualidade. Qual a diferença em relação ao tamanho do território brasileiro? Primeiro, vamos analisar alguns acontecimentos históricos da ocupação do território onde hoje se encontra o Brasil. Antes mesmo da chegada oficial dos portugueses na região que seria chamada Brasil, já havia uma disputa pelas terras do continente americano entre os europeus. Essa disputa acontecia principalmente entre Portugal e Espanha, que foram os dois primeiros países que se aventuraram pelos oceanos, conquistando novos territórios.
Portugal saiu na frente nesse empreendimento, promovendo várias expedições marítimas, sempre contornando a África. Contudo, foi Cristóvão Colombo, em nome da Espanha, que chegou à América em 1492. Esse foi um grande feito para a época, pois os europeus não sabiam da existência do continente americano.
Em um acordo entre Portugal e Espanha, foi estabelecido o Tratado de Tordesilhas, em 7 de julho de 1494. Por esse acordo, todas as terras descobertas no território americano seriam divididas entre portugueses e espanhóis. Para isso, foi traçada uma linha imaginária a 370 léguas das ilhas de Cabo Verde, situadas no Oceano Atlântico, próximas ao continente africano.
Todas as terras situadas a leste da linha seriam de Portugal e, as a oeste, seriam da Espanha, como você pode observar no mapa anterior.
Desse modo, antes mesmo de Pedro Álvares Cabral chegar ao Brasil, parte do território brasileiro já pertencia a Portugal devido ao Tratado de Tordesilhas.
A primeira expedição exploradora enviada ao Brasil por Portugal foi comandada por Gaspar de Lemos, em 1501. Esta expedição percorreu os mesmos lugares visitados no ano anterior por Cabral e fez um levantamento exploratório e geográfico do litoral daquelas terras, fato que lhe permitiu encontrar o pau-brasil, madeira já conhecida pelos europeus desde a Idade Média e que, até então, era importada do Oriente.
O governo português decidiu explorar a madeira em regime de estanco, ou seja, sua exploração era monopólio do rei. Em 1502, um comerciante português, Fernando de Noronha, conseguiu do rei de Portugal a permissão para explorar a madeira pau-brasil, contanto que fosse entregue a quinta parte de seus lucros à Coroa.
No litoral da Terra de Santa Cruz (atual litoral brasileiro), foram então estabelecidas várias feitorias, locais que serviam como entreposto comercial e como fortaleza para combater os piratas. O pau-brasil passou a ser explorado através do escambo, no qual os indígenas forneciam a mão de obra para o corte e transporte da madeira em troca de pequenos objetos dados pelos portugueses, como panos coloridos, machadinhas, espelhos, etc...
A operação de retirada do pau-brasil abriu um grande mercado para as roupas coloridas tingidas com o pigmento de cor vermelha, a qual – até então – era de uso exclusivo dos reis e nobres, dada a dificuldade de sua obtenção.
A notícia da existência de grande quantidade da madeira no Brasil despertou o interesse principalmente dos franceses.
As sucessivas investidas dos franceses para retirar madeira do litoral do Novo Mundo levou Portugal a enviar ao Brasil duas expedições guarda-costas, em 1516 e 1526, sob o comando de Cristóvão Jacques. Contudo, devido à extensão do litoral brasileiro, tal medida não foi suficiente para impedir a pirataria francesa, obrigando a Coroa portuguesa a ocupar as terras que lhe cabiam pelo Tratado de Tordesilhas de forma mais efetiva, por meio da colonização.
Assim, o rei de Portugal, D. João III, decidiu enviar uma nova expedição ao Brasil, agora com o objetivo de iniciar o povoamento e a colonização do território.
Comandada por Martim Afonso de Sousa, nobre português, a nova expedição, realizada entre 1530 e 1533, percorreu o litoral visando expulsar os franceses e iniciar a ocupação das novas terras, dividindo-as novamente em lotes para colonos, denominadas sesmarias. A expedição também buscou fundar povoados e dar início à agricultura com a plantação de cana-de-açúcar e trigo.
A expedição chegou inicialmente ao litoral da região onde hoje é o estado de Pernambuco e se dividiu em duas partes: uma seguiu para o norte, até a altura do atual Maranhão; e a outra, rumou para o sul, parando em vários pontos da costa brasileira, até chegar ao rio da Prata.
Durante a viagem de regresso dessa expedição, em 1532, foi fundada a primeira vila na colônia, batizada de Vila de São Vicente, que corresponde a uma parte do atual litoral paulista. O centro colonizador estendeu-se pelo planalto de Piratininga, onde também foram fundadas a vila de Santo André da Borda do Campo e, em 1945, a vila de Santos.
Os primeiros passos para a colonização estavam dados, mas o governo português não possuía condições econômicas para avançar neste processo, optando então em transferir os compromissos com o povoamento e a colonização para donatários, por meio da criação do sistema de capitanias hereditárias.
O território da vila de São Vicente estendia-se do litoral sul do que hoje é o estado de São Paulo até o sul do Rio de Janeiro. Mais tarde, a capitania de São Vicente foi dividida em duas e a parte ao norte se tornou a capitania do Rio de Janeiro, que englobava territórios de São Paulo, Minas Gerais, Góias, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina.
Em 25 de janeiro de 1554 teve início a formação da vila de São Paulo, pela iniciativa dos padres jesuítas Manoel da Nóbrega, José de Anchieta, Manoel de Paiva e mais nove religiosos, pertencentes à Companhia de Jesus, com a criação do sítio do Colégio de São Paulo de Piratininga, entre os rios Tamanduateí e Anhangabaú.
A princípio era apenas um barracão de taipa destinado ao ensino do catecismo e as primeiras letras aos filhos dos colonizadores, situado em um planalto a 760 metros acima do nível do mar. A vila fazia parte da capitania de São Vicente, cujo donatário era Martim Afonso de Sousa, que chegou ao Brasil em 1532.


Fundação de São Vicente


 Praça de Tordesilhas
CALIXTO, Benedito. Fundação de São Vicente. 1900. Óleo sobre tela, 385 cm x 192 cm. Museu Paulista da USP, São Paulo.

Fundada em janeiro de 1532 por Martim Afonso de Souza, a vila de São Vicente passou a ter um forte, uma capela e um pelourinho. Foram nomeadas algumas autoridades e doadas terras nas redondezas para dar início ao povoamento. A vila não se situava na chamada “costa do Pau-Brasil”, pois a intenção era criar núcleos de ocupação que favorecessem o acesso a possíveis minas de metais preciosos, no interior do continente.



Glossário


Monopólio: exclusivo, só o governo de Portugal tinha o poder e o direito de fazer.

















Links


Sanderlei Silveira (website)

História e Geografia de Santa Catarina - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de São Paulo - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia do Paraná - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de Matto Grosso do Sul - Ensino Fundamental (Blogger)

Língua Portuguesa - Ensino Fundamental (Blogger)

Português: História em 1 Minuto (Blogger)

English: History in 1 Minute (Blogger)

Español: Historia en 1 Minuto (Blogger)

ssconsult.com.br

ss-solucoes.com

historia1minuto.com.br

sanderlei.azurewebsites.net

historia.azurewebsites.net


sábado, 29 de agosto de 2015

Os símbolos do estado e do município (MS)






Os símbolos do estado e do município (MS)



Como os demais estados brasileiros, o Mato Grosso do Sul também possui símbolos oficiais como: a bandeira, o escudo de armas e o hino.
A bandeira do estado do Mato Grosso do Sul, projetada por Mauro Miguel Munhoz, foi instituída em 1.o de janeiro de 1979.
Segundo seu idealizador, a estrela amarela colocada à direita com fundo azul representa a esperança e a riqueza do trabalho do povo. O triângulo verde constitui-se no desafio e a consciência para a preservação do verde e da natureza. A faixa branca representa a amizade entre os povos.

Bandeira do estado do Mato Grosso do Sul

Bandeira do estado do Mato Grosso do Sul


Escudo de armas


O escudo das armas ou brasão é um símbolo usado em documentos, como papéis de expediente das repartições públicas, e em edifícios públicos, como por exemplo, no quartel da Polícia Militar e na residência oficial do governador.
O brasão de armas do estado do Mato Grosso do Sul também foi instituído em 1.o de janeiro de 1979, por iniciativa de José Luiz de Moura Pereira. Nele, estão representados na parte superior um retângulo com uma estrela dourada, também representada na bandeira do estado, e que simboliza um estado nascente.
Abaixo, sobre o campo verde que ocupa os dois terços inferiores do escudo, há a figura de uma onça-pintada estilizada com a cabeça voltada para a direita e com aplicações em negro sugerindo “pintas”.
Circundando o escudo, uma bordadura em azul com bordaduras em prata, carregada com 55 (cinquenta e cinco) estrelas, igualmente de prata, representativas da totalidade dos municípios que compunham a unidade do novo estado, quando da sua criação.
Um ramo de café frutificado à esquerda e outro de erva-mate à direita representam dois produtos historicamente importantes para a região onde se localiza o estado.
O timbre com raios solares na parte superior, em forma de meio círculo, constituído de 8 (oito) raios de pontas bipartidas mais duas metades, limitado abaixo pela linha de horizonte representam o ouro, a justiça, a fé e as riquezas minerais do estado, e a faixa azul na parte inferior apresenta as inscrições: 11.10.1977 e Mato Grosso do Sul, em prata.

Brasão de armas do Mato Grosso do Sul

Brasão de armas do Mato Grosso do Sul



Hino do estado do Mato Grosso do Sul


O ensino do canto do hino nacional e do hino do estado do Mato Grosso do Sul é obrigatório nos estabelecimentos de ensino públicos do estado.


Hino do estado do Mato Grosso do Sul



Os celeiros de farturas,
Sob um céu de puro azul,
Reforjaram em Mato Grosso do Sul
Uma gente audaz.

Tuas matas e teus campos,
O esplendor do Pantanal,
E teus rios são tão ricos
Que não há igual.

A pujança e a grandeza,
De fertilidades mil,
São o orgulho e a certeza
Do futuro do Brasil.

Moldurados pelas serras,
Campos grandes: Vacaria,
Rememoram desbravadores Heróis,
tanta galhardia!

Vespasiano, Camisão
E o tenente Antônio João,
Guaicurus, Ricardo Franco,
Glória e tradição!











Links


Sanderlei Silveira (website)

História e Geografia de Santa Catarina - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de São Paulo - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia do Paraná - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de Matto Grosso do Sul - Ensino Fundamental (Blogger)

Língua Portuguesa - Ensino Fundamental (Blogger)

Português: História em 1 Minuto (Blogger)

English: History in 1 Minute (Blogger)

Español: Historia en 1 Minuto (Blogger)

ssconsult.com.br

ss-solucoes.com

historia1minuto.com.br

sanderlei.azurewebsites.net

historia.azurewebsites.net


sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Atribuições das Câmaras Municipais (MS)






Atribuições das Câmaras Municipais (MS)


A função do vereador no Brasil nem sempre é bem conhecida pelo eleitor. Escolher o prefeitotalvez seja mais fácil. É ele quem tem os instrumentos para realização das políticas públicas. O prefeito tem em suas mãos o orçamento do município, é ele quem constrói, quem manda cuidar das ruas, quem reforma. Enfim, o trabalho do prefeito é bem visível e é possível ao eleitor uma associação direta entre o cargo e as atribuições.
O papel do vereador não é tão evidente assim. A primeira atribuição do vereador que merece destaque é a função de representar. Ele é responsável por buscar saber quais são os problemas da população. Como representante do povo, tem a obrigação de ser o porta-voz das minorias, dos grupos organizados, das associações, dos sindicatos e do cidadão consciente.
A mais conhecida das atribuições dos vereadores é legislar. Todo esforço deve ser feito por ele para que a lei em elaboração seja efetiva, aplicável, equilibrada e atenda aos desejos da coletividade.
Passemos agora para uma função quase esquecida pelas Câmaras Municipais. A sociedade em geral não sabe e o próprio vereador muitas vezes desconhece sua responsabilidade de exercer o controle externo. Significa dizer que é responsabilidade do vereador realizar a fiscalização e o controle das contas públicas. Cabe ao vereador avaliar permanentemente as ações do prefeito.
Conhecer as atribuições do cargo permite ao eleitor avaliar quem é o melhor candidato para exercer aquela função. Conhecer a Câmara Municipal também possibilita ao cidadão saber o que cobrar dos seus vereadores. Assim se exerce cidadania. Assim se constrói a democracia no Brasil.

Câmara Municipal de Campo Grande











Links


Sanderlei Silveira (website)

História e Geografia de Santa Catarina - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de São Paulo - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia do Paraná - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de Matto Grosso do Sul - Ensino Fundamental (Blogger)

Língua Portuguesa - Ensino Fundamental (Blogger)

Português: História em 1 Minuto (Blogger)

English: History in 1 Minute (Blogger)

Español: Historia en 1 Minuto (Blogger)

ssconsult.com.br

ss-solucoes.com

historia1minuto.com.br

sanderlei.azurewebsites.net

historia.azurewebsites.net



quinta-feira, 27 de agosto de 2015

O município e sua administração (MS)



O município e sua administração (MS)


O município é formado pelo conjunto das áreas urbanas, suburbanas e rurais. O espaço geográfico de um município, normalmente, é ocupado por uma cidade, pelas sedes de seus distritos, localidades ou vilarejos, propriedades rurais como fazendas, sítios, chácaras, e áreas de vegetação nativa ou reflorestamento.
O espaço ocupado pela cidade é apenas a parte urbana de um município, e é onde se localiza a sede do município, onde se encontra a administração municipal, a prefeitura e Câmara de Vereadores e se concentram os principais serviços ligados à saúde, ao transporte, à educação, ao comércio, etc.
Todos os municípios são delimitados entre si. Os limites são demarcações que separam os espaços com funções, características e administração distintas. Os municípios podem ser delimitados por divisas naturais como: rios, montanhas, etc. ou culturais como: estradas, ruas, pontes, placas, etc.
A maioria dos municípios são formados pela cidade, pelos distritos e pela área rural que é a parte do espaço ocupada por fazendas, sítios, chácaras, também chamado de zona rural. Na zona rural, há as plantações de hortifrutigranjeiros, as fazendas de criação de gado, os haras, etc. Há vantagens e desvantagens em se morar em cada um desses lugares, pois o cotidiano urbano normalmente oferece algumas facilidades, mas também agitação constante. Já para quem vive no campo, o ritmo das atividades pode ser mais calmo em relação à cidade.
Mas saiba que existem alguns municípios que já não possuem mais a área rural. Isso acontece por causa do crescimento das cidades e do aumento de sua população. Os limites entre o espaço rural e a cidade vão se modificando e novas edificações vão surgindo, novos loteamentos, novas ruas são traçadas, e o espaço que antes era rural vai se transformando com todas as características do espaço urbano.
Os espaços são modificados pelo trabalho do homem e pelo tempo, mas também há aqueles que permanecem sem interferência humana, como as paisagens naturais, em que prevalecem elementos da natureza.
Com certeza, ao viajar de ônibus ou de carro, ou até a cavalo, você observou as diferentes paisagens por onde passou: rios, planícies, morros, plantações, criação de animais, pontes, cidades pequenas e grandes. Tudo isso que observamos ao nosso redor constitui a paisagem do lugar.
As paisagens são produzidas e modificadas pelo ser humano para atender às suas necessidades e vão mudando por meio do trabalho e das tecnologias existentes.
Todos nós somos responsáveis pelo lugar em que moramos. É pelos acontecimentos da rua, do nosso bairro e da cidade onde vivemos que experimentamos de fato a realidade do nosso país. Somos responsáveis por escolher bem as pessoas que administram nosso município, nosso estado e nosso país.
Quem governa os municípios e deve cuidar do seu desenvolvimento são os prefeitos. Quando eles se ausentam do cargo, são substituídos pelos vice-prefeitos.
A Câmara de Vereadores tem como função principal elaborar e aprovar leis que atendam às necessidades da população municipal. O número de vereadores de cada município é determinado pelo número de habitantes. Os cidadãos que ocupam tais cargos devem defender os interesses da população, pois são seus representantes. Não podem privilegiar interesses particulares ou de um restrito grupo de pessoas.
Os prefeitos e os vereadores são eleitos pela população por meio de voto direto, para um mandato de quatro anos.

Zona rural de Mato Grosso do Sul.

Zona rural de Mato Grosso do Sul.


Glossário


Suburbanas: é a designação das áreas que circundam as áreas centrais de um aglomerado urbano.
Distritos: localidades em que se subdividem alguns municípios.
Sede do município: é a área urbana do município e onde estão situados os principais órgãos públicos e as atividades administrativas de um município.











Links


Sanderlei Silveira (website)

História e Geografia de Santa Catarina - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de São Paulo - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia do Paraná - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de Matto Grosso do Sul - Ensino Fundamental (Blogger)

Língua Portuguesa - Ensino Fundamental (Blogger)

Português: História em 1 Minuto (Blogger)

English: History in 1 Minute (Blogger)

Español: Historia en 1 Minuto (Blogger)

ssconsult.com.br

ss-solucoes.com

historia1minuto.com.br

sanderlei.azurewebsites.net

historia.azurewebsites.net


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Mato Grosso do Sul – representação e localização




Mato Grosso do Sul – representação e localização


Assim como o espaço ocupado pela cidade, pelos distritos e pelo campo formam um município,diversos municípios formam os estados e os estados formam o país. Portanto, cada estado brasileiro ocupa um território definido por limites e é formado por vários municípios.
Dentre todos os municípios de um estado, um é escolhido para ser a sede da capital, onde estão os órgãos de governo do estado. O estado do Mato Grosso do Sul é formado por 79 municípios, sendo a cidade de Campo Grande a sede da capital do estado.
Essa divisão de território é feita na forma da lei e tem por objetivo organizar um grande espaço geográfico, como o estado, para as ações políticas, administrativas, sociais e econômicas.
É importante lembrar que os limites de hoje podem mudar no futuro.

 Vista panorâmica do centro da cidade de Campo Grande (MS)
Vista panorâmica do centro da cidade de Campo Grande (MS).


Glossário


Sede da capital: é a cidade do estado ou país onde fica a sede do governo estadual ou federal.



Observe o mapa do estado do Mato Grosso do Sul a seguir, bem como os elementos que possibilitam a leitura e a interpretação dos dados. Veja que o uso de diferentes cores também é um importante recurso, pois elas destacam melhor o espaço territorial ocupado pelos municípios.


Mato Grosso do Sul – Municípios


 Mato Grosso do Sul – Municípios


Municípios do estado de Mato Grosso do Sul


1. Agua Clara2. Alcinopolis3. Amambai4. Anastacio5. Anaurilandia
6. Angelica7. Antonio Joao8. Aparecida do Taboado9. Aquidauana10. Aral Moreira
11. Bandeirantes12. Bataguassu13. Bataipora14. Bela Vista15. Bodoquena
16. Bonito17. Brasilandia18. Caarapo19. Camapua20. Campo Grande
21. Caracol22. Cassilandia23. Chapadao do Sul24. Corguinho25. Coronel Sapucaia
26. Corumba27. Costa Rica28. Coxim29. Deodápolis30. Dois Irmãos do Buriti
31. Douradina32. Dourados33. Eldorado34. Fatima do Sul35. Figueirão
36. Gloria de Dourados37. Guia Lopes da Laguna38. Iguatemi39. Inocência40. Itaporã
41. Itaquirai42. Ivinhema43. Japora44. Jaraguari45. Jardim
46. Jatei47. Juti48. Ladario49. Laguna Carapa50. Maracaju
51. Miranda52. Mundo Novo53. Navirai54. Nioaque55. Nova Alvorada do Sul
56. Nova Andradina57. Novo Horizonte do Sul58. Paraíso das Águas59. Paranaiba60. Paranhos
61. Pedro Gomes62. Ponta Pora63. Porto Murtinho64. Ribas do Rio Pardo65. Rio Brilhante
66. Rio Negro67. Rio Verde de Mato Grosso68. Rochedo69. Santa Rita do Pardo70. São Gabriel do Oeste
71. Selviria72. Sete Quedas73. Sidrolandia74. Sonora75. Tacuru
76. Taquarussu77. Terenos78. Tres Lagoas79. Vicentina












Links


Sanderlei Silveira (website)

História e Geografia de Santa Catarina - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de São Paulo - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia do Paraná - Ensino Fundamental (Blogger)

História e Geografia de Matto Grosso do Sul - Ensino Fundamental (Blogger)

Língua Portuguesa - Ensino Fundamental (Blogger)

Português: História em 1 Minuto (Blogger)

English: History in 1 Minute (Blogger)

Español: Historia en 1 Minuto (Blogger)

ssconsult.com.br

ss-solucoes.com

historia1minuto.com.br

sanderlei.azurewebsites.net

historia.azurewebsites.net


domingo, 23 de agosto de 2015

A organização do espaço geográfico brasileiro




A organização do espaço geográfico brasileiro


Na atualidade, o espaço geográfico do Brasil está organizado em estados. O Brasil possui 27 Unidades da Federação (UF), sendo 26 estados e o Distrito Federal, onde está localizada a capital do país, na cidade de Brasília.
Observe, no mapa a seguir, a divisão política do Brasil. Nessa representação do espaço geográfico brasileiro, você poderá localizar o Distrito Federal, o estado de Santa Catarina e as outras Unidades da Federação.

Brasil – Divisão regional





Glossário


Estado: espaço geográfico delimitado; possui instituição política, social e jurídica e é dirigido por um governo.
Unidade Federativa: cada um dos 26 estados brasileiros e o Distrito Federal, os quais compõem a República Federativa do Brasil.
Distrito Federal: é a Unidade da Federação (UF) onde fica a cidade de Brasília, capital do Brasil. O DF não é estado e não possui municípios, é autônomo e está organizado em regiões administrativas – as cidades-satélite – que dependem de Brasília.



Mas por que regionalizar?


A divisão regional tem como principal objetivo facilitar a administração, planejar suas necessidades, entender e identificar tanto as diferenças como as semelhanças existentes entre regiões. Regionalizar significa dividir o espaço geográfico em “porções”, seguindo alguns critérios de semelhanças ou diferenças econômicas e naturais. Por exemplo, podemos regionalizar os espaços da nossa escola seguindo os critérios das atividades e funções praticadas: área de recreação; área de estudo, onde ficam as salas de aula, a biblioteca e a sala de televisão; área administrativa, onde ficam a diretoria e a secretaria; área de alimentação; etc. Da mesma forma, o território de um país ou de um estado também pode ser dividido por regiões.
A atual divisão do Brasil em regiões foi estabelecida em 1988, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que é a instituição responsável, entre outras coisas, por realizar várias pesquisas no país, como o recenseamento populacional, que é a contagem da população realizada de 10 em 10 anos.
Leia novamente o mapa acima e confira como ficou a divisão regional brasileira. Localize o estado do Mato Grosso do Sul e identifique em qual região ele está inserido.
Viu como é fácil? É só ler a legenda do mapa!
Os estados que compõem a região Centro-Oeste do Brasil são: Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.











Veja Também em:


www.sanderlei.com.br

sanderlei.azurewebsites.net

Apoio:

www.ssconsult.com.br





sábado, 22 de agosto de 2015

O espaço geográfico e sua organização




O espaço geográfico e sua organização




O mundo em que vivemos - Observe as imagens









Por meio dessas imagens podemos identificar algumas características marcantes do mundo em que vivemos (o planeta Terra), como a forma, o tamanho, as cores e as representações dele, assim como as partes que o compõem. Você percebeu que as imagens acima tratam-se de: uma foto da Terra feita por satélite, outra também feita por satélite, de uma parte do continente onde está o Brasil e uma última que é a representação da Terra em um globo terrestre escolar.
Observe que as partes superficiais do nosso planeta são formadas por continentes e oceanos.


Glossário


Continentes: vasta porção de terras emersas e contínuas da superfície terrestre.
Oceanos: correspondem à porção de água salgada que cobre cerca de 70% da superfície do globo terrestre.



Observe a seguir, no mapa-múndi, os continentes e os oceanos do planeta.

Mapa-múndi



O Brasil no mundo


O nosso país, o Brasil, faz parte do continente americano, e por estar localiza- do na porção sul desse continente, fazemos parte da América do Sul.
Observe novamente o mapa-múndi e localize a América do Sul.
O Brasil faz fronteira com vários países, sendo banhado a leste pelo oceano Atlântico. Volte a observar o mapa-múndi e localize a América do Sul. Agora, ob-serve o mapa da América do Sul e localize o Brasil e os demais países.
Agora, observe o mapa da América do Sul e localize o Brasil e os demais países que a compõem.

América do Sul




Você deve ter notado que o Brasil é um país muito grande, ou seja, tem um território extenso e, por isso, apresenta em seu território diferenças físicas, econômicas, sociais e culturais.
Para melhor administrá-las, foram feitas divisões no território com o objetivo de organizar esse grande espaço geográfico e, com isso, facilitar as ações políticas, administrativas e econômicas.







Veja Também em:


www.sanderlei.com.br

sanderlei.azurewebsites.net

Apoio:

www.ssconsult.com.br






segunda-feira, 10 de agosto de 2015

A organização do espaço geográfico brasileiro



A organização do espaço geográfico brasileiro


Na atualidade, o espaço geográfico do Brasil está organizado em estados. O Brasil possui 27 Unidades da Federação (UF), sendo 26 estados e o Distrito Federal, onde está localizada a capital do país, na cidade de Brasília.
Observe, no mapa a seguir, a divisão política do Brasil. Nessa representação do espaço geográfico brasileiro, você poderá localizar o Distrito Federal, o estado de Santa Catarina e as outras Unidades da Federação.

Brasil – Divisão regional



 Santa Catarina Historia Geografia - Brasil – Divisão regional

Glossário


Estado: espaço geográfico delimitado; possui instituição política, social e jurídica e é dirigido por um governo.
Unidade Federativa: cada um dos 26 estados brasileiros e o Distrito Federal, os quais compõem a República Federativa do Brasil.
Distrito Federal: é a Unidade da Federação (UF) onde fica a cidade de Brasília, capital do Brasil. O DF não é estado e não possui municípios, é autônomo e está organizado em regiões administrativas – as cidades-satélite – que dependem de Brasília.



Mas por que regionalizar?


A divisão regional tem como principal objetivo facilitar a administração, planejar suas necessidades, entender e identificar tanto as diferenças como as semelhanças existentes entre regiões. Regionalizar significa dividir o espaço geográfico em “porções”, seguindo alguns critérios de semelhanças ou diferenças econômicas e naturais. Por exemplo, podemos regionalizar os espaços da nossa escola seguindo os critérios das atividades e funções praticadas: área de recreação; área de estudo, onde ficam as salas de aula, a biblioteca e a sala de televisão; área administrativa, onde ficam a diretoria e a secretaria; área de alimentação; etc. Da mesma forma, o território de um país ou de um estado também pode ser dividido por regiões.
A atual divisão do Brasil em regiões foi estabelecida em 1988, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que é a instituição responsável, entre outras coisas, por realizar várias pesquisas no país, como o recenseamento populacional, que é a contagem da população realizada de 10 em 10 anos.
Leia novamente o mapa acima e confira como ficou a divisão regional brasileira. Localize o estado do Mato Grosso do Sul e identifique em qual região ele está inserido.
Viu como é fácil? É só ler a legenda do mapa!
Os estados que compõem a região Centro-Oeste do Brasil são: Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.








Veja Também em:


www.sanderlei.com.br

sanderlei.azurewebsites.net

Apoio:

www.ssconsult.com.br











domingo, 9 de agosto de 2015

O espaço geográfico e sua organização




O mundo em que vivemos - Observe as imagens








Por meio dessas imagens podemos identificar algumas características marcantes do mundo em que vivemos (o planeta Terra), como a forma, o tamanho, as cores e as representações dele, assim como as partes que o compõem. Você percebeu que as imagens acima tratam-se de: uma foto da Terra feita por satélite, outra também feita por satélite, de uma parte do continente onde está o Brasil e uma última que é a representação da Terra em um globo terrestre escolar.
Observe que as partes superficiais do nosso planeta são formadas por continentes e oceanos.


Glossário


Continentes: vasta porção de terras emersas e contínuas da superfície terrestre.
Oceanos: correspondem à porção de água salgada que cobre cerca de 70% da superfície do globo terrestre.



Observe a seguir, no mapa-múndi, os continentes e os oceanos do planeta.

Mapa-múndi





O Brasil no mundo


O nosso país, o Brasil, faz parte do continente americano, e por estar localiza- do na porção sul desse continente, fazemos parte da América do Sul.
Observe novamente o mapa-múndi e localize a América do Sul.
O Brasil faz fronteira com vários países, sendo banhado a leste pelo oceano Atlântico. Volte a observar o mapa-múndi e localize a América do Sul. Agora, ob-serve o mapa da América do Sul e localize o Brasil e os demais países.
Agora, observe o mapa da América do Sul e localize o Brasil e os demais países que a compõem.

América do Sul





Você deve ter notado que o Brasil é um país muito grande, ou seja, tem um território extenso e, por isso, apresenta em seu território diferenças físicas, econômicas, sociais e culturais.
Para melhor administrá-las, foram feitas divisões no território com o objetivo de organizar esse grande espaço geográfico e, com isso, facilitar as ações políticas, administrativas e econômicas.











Veja Também em:


www.sanderlei.com.br

sanderlei.azurewebsites.net

Apoio:

www.ssconsult.com.br